Oito passos para sua estratégia de comunicação alavancar os negócios

Vamos pensar em comunicação para o seu negócio? Sim! 

As mentoras do Coletivo desenvolveram uma plataforma em oito passos para orientar o que deve ser feito para bem comunicar uma marca. Trata-se da Marcativa. Veja quais são os passos e nos consulte para saber como aplicá-los.


#empreendedorismo #startups #comunicação #marcativa


Empreendedores e startups: como divulgar seu negócio?

Claudia Cezaro Zanuso conversou na live desta quarta-feira, 16 de setembro, com a jornalista e comunicadora Regina Valente, sobre a necessidade de divulgar os negócios e fazer isso de forma estruturada, com base em estratégias de comunicação.

Regina logo destacou que a pandemia acelerou muitos processos e a questão por trás das mudanças é a comunicação – as pessoas estão buscando formas de se comunicar por meio da tecnologia. Muita gente que perdeu emprego está tentando empreender e se comunicar. Independente do porte da empresa, todas têm que se comunicar e hoje há muitas ferramentas para a comunicação.

Qual o valor da comunicação para os novos negócios? Todo mundo pode (e deve) se comunicar. Não importa se você é um empreendedor autônomo, uma startup que acaba de entrar no mercado ou um unicórnio – é a velha história da galinha que cacareja toda vez que bota um ovo (mesmo que não seja de ouro!).

Há tanto valor na imprensa tradicional quanto no mundo digital. O importante é posicionar bem a marca e os serviços. Quanto melhor a comunicação, melhor o resultado de vendas. Não precisa ser uma supermarca para se posicionar. Hoje, uma série de áreas de empreendimento e startups estão até competindo com empresas grandes – estão fazendo uma boa comunicação.

Muitas startups valorizam a mídia tradicional. Há jornalistas especializados que criaram portais para isso. Há a Pequenas Empresas Grandes Negócios, que é um hub de informação. E tem o digital. Precisa ter o balanço e não ser refém do algoritmo.

 

O que dizer aos empreendedores para ajudar a aumentar/melhorar esse valor? Ter claro o objetivo de negócio – o que você faz – e qual é o seu propósito. E ainda com quem você quer falar. Com o consumidor final? Com empresas que compram seu produto/serviço? São perguntas determinantes para orientar na definição da estratégia da comunicação e, principalmente, no resultado. Vale lembrar, também, que nem sempre quantidade é sinônimo de visibilidade e mais vendas. A comunicação vai posicionar sua empresa/marca, mas é preciso estar onde seu público está.

É fundamental alinhar o objetivo do que você quer comunicar com o que o seu consumidor quer receber. Se a empresa fala com todo mundo, não está falando com ninguém.

 


Claudia destacou que é simples se comunicar, quando se entende a lógica.

E falou sobre os 8 passos da metodologia Marcativa, 

que serve como uma régua para o planejamento da comunicação. 

 

O empreendedor brasileiro dá valor para a comunicação? A comunicação está em alta. Com a pandemia, as pessoas começam a entender o papel de comunicação. Mas, na prática, muita gente confunde comunicação de imprensa, digital, com marketing e vendas. É preciso separar o que é comunicação para marca e reputação e a parte de marketing e vendas, que têm objetivos diferentes. As duas são comunicação.

A comunicação que fazemos é para posicionamento de marca e visibilidade – isso contribuirá certamente para o desempenho do negócio no longo prazo. Mas, para vender em volume, por exemplo, é preciso investir em outras mídias pagas – publicidade, propaganda em diversos meios online e off-line, campanhas, etc., dependendo do porte, do perfil e do tipo de negócio. Só lembre que: investir em publicidade sem um plano de comunicação (e vice-versa), pode não trazer os resultados esperados. Quanto mais integrada for sua comunicação de marca e institucional, mais chances de sucesso.

Você compararia a lógica para a gestão dos negócios, de um novo empreendedor com a dos startapeiros? No que eles se igualam e no diferem? São desafios diferentes. Empreender sozinho é diferente de gerir uma startup. O empreendedor autônomo é seu próprio gestor de administração, finanças, comunicação, etc. Ele pensa em tudo o tempo todo. E precisa pensar o negócio e a comunicação do negócio de uma forma mais “compacta” também. É trabalho de formiguinha. O bacana é que a comunicação se adapta a qualquer modelo de negócio.

É preciso fazer conteúdo nas redes. Pensando no universo pet, é fácil ver que posts nas redes sociais com animais repercutem muito. Esse comentário levou Claudia a falar de formas mais leves de comunicação e da variedade de redes, como o Tik Tok. De fato, disse Regina, muitas marcas de consumo estão indo para essa rede. O resultado é mais efetivo quando se usa o canal correto.

Como SEO ajuda? SEO é relevante. Deve-se usar de forma estratégica e que tenha sentido para seu perfil, de novo, sem ficar refém do algoritmo. Dependendo do perfil, em vez de investir no SEO, vale mais estar no Instagram. É avaliar caso a caso, ver o que faz mais sentido para seu negócio. 

As universidades estão incentivando alunos a empreender. O que acha? Sou entusiasta do empreendedorismo, me considero uma empreendedora. É bom estimular que entendam o mercado, saibam onde está seu talento e vejam oportunidade de negócios. No momento, vemos notícias desanimadoras para os jovens, mas eles não podem deixar de colocar em prática suas ideias. Ser empreendedor de sua carreira é fundamental.

Você acredita no self communicator? Ou faça você mesmo? Qual é o papel das agências hoje? É compartilhar conhecimento – planejar junto com o cliente. Em tese, nós entendemos de comunicação, mas o cliente deve participar do processo. A importância da agência está no suporte, treinamento, consultoria e relacionamento com a imprensa e o ecossistema. É importante contar com especialistas nesse processo, pessoas que vão ajudar a ampliar a visibilidade da marca de forma estratégica. Antes o processo era mais engessado. Hoje todos ganham. O cliente aprende com a gente e a gente se inspira com ele. Há uma valorização do que é autêntico, genuíno.

 

Como gerar empatia e identificação com seu público? Cada vez mais as pessoas consomem produtos e serviços online e, para isso, elas querem saber de quem estão comprando – precisam se identificar. Quem é você? Como é sua empresa? Como você quer ser percebido pelo seu público? O pequeno pode mostrar a fabricação e o processo de produção ao público. Isso causa empatia. Os jovens são muito ligados nisso.

 

Como as empresas estão se reinventando na pandemia? Reforçando: sou entusiasta do empreendedorismo. Vários segmentos estão se reinventado muito bem, como as Edtechs, no ensino privado. O Descomplica começou com ensino digital e está na crista da onda agora, pois se posicionou bem. No ramo imobiliário, alguns recorreram à visita virtual. Tem gente fechando negócio ser ter visitado o imóvel! E na alimentação, estão investindo no delivery, com aplicativos. 

Quais exemplos pode dar em relação a marcas de novos empreendedores bem comunicadas? Podemos comentar startups que vêm crescendo (Gympass, Descomplica, Quinto Andar, Arco Educação, Caju Benefícios, Solfácil, etc.). Essas empresas começaram desconhecidas e ganharam escala com muita velocidade. Elas foram atrás dos investidores, buscaram ajuda e mentoria no ecossistema e se comunicaram bem com o público-alvo. Muitos desses empreendedores, inclusive, não tiveram sucesso na primeira tentativa de empreender – pelo contrário. Alguns amargaram prejuízos e tiveram que recomeçar do zero. A gente sabe que, no Brasil, 1 de 4 startups não sobrevive após o 1º ano de vida. Por isso, é fundamental ter um bom plano de negócio amarrado a um bom plano de comunicação. E sempre ter em mente que persistir e aprender com as experiências também faz parte do crescimento e do sucesso.

Qual a melhor forma de comunicar o cuidado com os colaboradores? Essa discussão está no LinkedIn. Até que ponto é real dizer que a empresa está dando todo o respaldo ao funcionário em home office? Isso é legal, mas há suporte de saúde mental? Apoio psicológico? Tem que comunicar sem parecer oportunista. E fazer sentido.

 

Dicas de ouro para empreendedores na hora de usar comunicação para seus negócios:

 

1-   Estruture: quem é você, qual é o seu propósito. Desenhe seu negócio pensando em como pode contribuir para a sociedade.

2-    Defina aonde você quer chegar e com quem você quer falar – quem pode comprar seu produto ou serviço?

3-   Não atire para todos os lados. É importante calibrar expectativas. A comunicação pode começar pequena, com perspectiva de um caminho bonito.

4-  Use as redes sociais da melhor forma. Além de produzir conteúdo próprio, pode compartilhar conteúdos de outros, mas muito cuidado com fake news. O conteúdo deve ser de fonte com credibilidade, ser relevante e ter a ver com o negócio.

 

 

Sobre Regina Valente


Regina é jornalista, formada pela PUC-SP, com especialização em Comunicação Empresarial pela Universidade Metodista e cursos de aperfeiçoamento em marketing, gestão e empreendedorismo. Acumula mais de 20 anos de carreira, com vivência em imprensa/redação, comunicação corporativa e produção de conteúdo para clientes de diversos setores como Nestlé, TecBan, Microsoft, VERX, Sindsegsp, Pirelli, Deutsche Bank, Renova Energia, Duke Energy e Instituto Alfa e Beto, entre outros. Atualmente, está na FSB Comunicação, no atendimento a empres

O seu negócio é para o Instagram?

A mentora Claudia Cezaro Zanuso, do Coletivo Pro Comunica, conversou nesta quarta-feira, dia 7 de outubro, com a jornalista e influencer Ma...