Podemos ajudar nesta crise


Se em tempos normais, em que todos podem concentrar as energias nos seus empreendimentos e objetivos, a comunicação dos negócios já é um desafio, imagine agora que ninguém sabe como será o futuro. Estamos todos dando prioridade às medidas sanitárias urgentes. Isso está fora de discussão. Mas temos que continuar minimamente as nossas atividades para estar prontos a enfrentar a retomada da economia após o fim da pandemia.

Para isso, a comunicação não pode parar. O Coletivo Pro Comunica desenvolveu a plataforma MarcAtiva com a finalidade de apoiar os novos empreendedores e cuidarem eles próprios da comunicação de seu negócio. De maneira simples, é possível seguir oito passos decisivos para a comunicação: propósito, marca, posicionamento, clientes e outros públicos, presença física e digital, consolidação, expansão e reputação.

A cada passo, o empreendedor vai estruturando sua forma de comunicar o que faz, por que faz e para quem faz seus produtos ou serviços. E em cada passo, recebe orientação das mentoras do Coletivo Pro Comunica. Não hesite em pedir ajuda. Fale conosco agora pelo coletivoprocomunica@gmail.com

Comunicação de pandemia


A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quarta-feira, dia 11 de março, uma pandemia do coronavírus. Os meios de comunicação rapidamente transmitiram a informação, pois a decisão significa que os governos devem tomar medidas mais drásticas do que tentar conter a transmissão do vírus.

O que a comunicação de uma empresa pode fazer neste caso? Ela tem um papel muito importante na forma como as pessoas que trabalham nas empresas vão lidar com o problema. Além de informar e alertar, a comunicação serve para educar, advertindo inclusive sobre o risco de se acreditar em fake news disseminadas nas redes sociais. Nós, do Coletivo Pro Comunica, consideramos de fundamental importância que a comunicação esteja ligada aos acontecimentos e busque informações confiáveis para transmitir à sua rede de influência.

A comunicação tem uma atuação de suprema importância em relação a educar para a mudança de hábitos. No caso desta pandemia, lavar as mãos por pelo menos 20 segundos é um dos hábitos que podem ajudar a reduzir a transmissão. É possível notar que brasileiros começam a cobrir o rosto com a parte interna do braço ao tossir ou espirrar. Esse gesto é usado há tempos em outros países, como o Canadá. Agora, a informação é disseminada e a mudança de comportamento deve vir para ficar.

Tirar lições de uma crise e usar isso para que se adotem hábitos mais saudáveis é a tarefa da comunicação. O momento deve ser aproveitado para que as pessoas percebam a importância de manter hábitos higiênicos e saudáveis, a todo instante.

Esta crise deve deixar outras lições para a comunicação corporativa. O impacto da pandemia na economia global deve ser da ordem de US$ 1 trilhão (R$ 4,7 trilhões) em 2020, segundo estimativa da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad). Alguns setores da economia estão sendo mais afetados do que outros, mas todos terão de reavaliar seus projetos para se adequar a um novo momento. Comunicação corporativa serve exatamente para isso: informar, alinhar, conectar e conseguir o melhor resultado com base no tripé econômico, social e ambiental.

O seu negócio é para o Instagram?

A mentora Claudia Cezaro Zanuso, do Coletivo Pro Comunica, conversou nesta quarta-feira, dia 7 de outubro, com a jornalista e influencer Ma...